Bio

Laura Moreira
São Paulo (SP), Brasil

Eu

Foto: Renata Pancih

Laura Moreira é artista da dança e da performance e editora. Bolsista Top 50 finalizando o bacharelado e licenciatura em Dança da UAM. Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Editoração, pela ECA-USP (2007). Realizou intercâmbio na Universidade de Santiago de Compostela, onde estudou História da Arte, Estética e Paleografia (2006).

Desde 2016 integra o Núcleo Mórula, que pesquisa os estados de presença no cruzamento das danças contemporânea e afro-brasileira, com respaldo nas abordagens somáticas. O núcleo é residente do Centro de Referência da Dança de São Paulo (CRD-SP).

Desde 2010, integra o Núcleo de Artes Afro-Brasileiras da USP, espaço independente de ensino, pesquisa e prática de manifestações do Recôncavo Baiano (dança afro-brasileira, maculelê, samba de roda, percussão). Fez duas pesquisas de campo (2010 e 2012) e tem participado de inúmeros espetáculos e aulas abertas por todo o Estado de São Paulo.

Durante o ano de 2015, integrou o [Elas] Coletivo, que trata de questões do universo da mulher via performance e dança no espaço urbano. O coletivo é residente do Centro de Referência da Dança de São Paulo (CRD-SP).

Foi estagiária do Avoa! Núcleo Artístico, dirigido por Lu Bortoletto (2015); do Museu da Dança, com Talita Bretas (2015-2016); do Núcleo Pé de Zamba, dirigido por Andrea Soares (2015); e do curso de Estudos sobre Laban, com Maria Mommensohn (2014).

Na Universidade Anhembi Morumbi, estudou balé clássico, dança moderna (Limón), dança contemporânea, Laban, improvisação e composição com Henrique Schuller, Robson Lourenço, Sheila Arêas e Valéria Cano Bravi.

Participou dos cursos livres de dança contemporânea, com Adriana Guidotte (CRD-SP, 2016); Graham, com Kika de Souza (Edasp, 2014); Estudos sobre Laban, com Maria Mommensohn (Funarte, 2014); e Pilates, com Wilson Helvécio (Edasp, 2016).

Participou também de oficinas e workshops de Body Mind Centering® (BMC), com Bonnie B. Cohen; Body Mind Movement (BMM), com Mark Taylor; Eutonia, com Karen Müller e Yeda Peres; Técnica Klauss Vianna, com Neide Neves; dança contemporânea, com Miriam Druwe, Sophia Neuparth, Marina Caron, Nathalia Catharina e Anderson Gouvea; contato improvisação, com Ricardo Neves; dança dos orixás, com Rosângela Silvestre; dança africana, com Patrick Acogny.

Como artista da performance, em 2016, participou das ações Baile, do artista estadunidense Pope.L, no âmbito da 32ª Bienal de São Paulo; Transbordação, de Dora Smék, no Sesc Bom Retiro; e Imagem do Jogo, de Maíra Vaz Valente, na Praça das Artes. Em 2015, criou e acionou Cinzas Memórias, em uma casa vazia da zona sul de São Paulo. No mesmo ano, participou de Suspensória, no Sesc Santana e na Oficina Cultural Oswald de Andrade; Mikado, da artista dinamarquesa Lilibeth Rasmussen, na Mostra Verbo (Galeria Vermelho); e Cegos, do Desvio Coletivo, na Virada Cultural de São Paulo. Foi facilitadora artística do Método Abramovic na exposição Terra Comunal – Marina Abramovic + MAI, no Sesc Pompeia.

Como docente, ministrou as oficinas de Dança Afro-Brasileira (2016) e Danças Brasileiras para a Terceira Idade (2015), ambas no Projeto Todos na Dança, e de Fundamentos de Dança Moderna para Estudantes de Dança Afro-Brasileira, no Núcleo de Artes Afro-Brasileiras da USP (2014).

Nas artes visuais, integrou a coletiva Arte Como Processo, no Sesc Pinheiros, com curadoria da artista visual Ana André (2010). Fotógrafa amadora, participou do workshop “O Olhar Fotográfico para a Dança”, ministrado pela ex-bailarina e fotógrafa Silvia Machado (2014).

Na música, estudou Canto Popular e Coral com Gisele Cruz, no Sesc Vila Mariana (2011-12), e percussão com Mestre Pinguim, no Núcleo de Artes Afro-Brasileiras (2010-2013).